Boletim 781 - Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. (Lucas 5.4) | Primeira Igreja Presbiteriana de Porto Velho

Boletim 781 - Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. (Lucas 5.4)

Publicado em: 23/04/2017 08:36:58

Aprendemos desta narrativa a necessidade de envolvimento humano. A pescaria foi miraculosa, mas nem o pescador, nem o seu barco, nem a sua rede de pesca foram ignorados. Todos foram usados para apanhar os peixes. Na salvação de almas, Deus emprega muitos instrumentos diferentes. Enquanto o presente sistema de graça permanecer, Ele será agradado pela loucura de pregar para salvar os que crêem. Ao agir sem instrumentos, sem dúvida, Deus é glorificado; mas Ele mesmo escolheu este método como aquele por meio do qual é mais glorificado na terra. Métodos, por si mesmos, são absolutamente inúteis. “Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos” (Lucas 5.5). Qual foi a razão para esta afirmação? Eles conheciam bem o trabalho, não eram inexperientes. Lançaram-se ao trabalho sem habilidade? Não. Faltou-lhes empenho? Não. Haviam trabalhado arduamente. Faltou-lhes perseverança? Não. Haviam trabalhado durante toda a noite. Faltavam peixes no mar? Não, pois, tão logo o Senhor apareceu, os cardumes nadaram em direção às redes. Então, por que razão eles não apanharam os peixes? Porque sem a presença de Jesus eles não tinham poder em si mesmos! Nada podemos fazer sem Ele. Mas com Cristo podemos fazer todas as coisas. A presença de Jesus outorga sucesso. Jesus assentou-se no barco de Pedro e sua vontade, por uma influência misteriosa, atraiu os peixes às redes. Quando Jesus é exaltado em sua igreja, a presença dele se torna o poder da igreja -a voz de um Rei está no meio dela. “E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo” (João 12.32). Neste dia, saiamos para o trabalho de ganhar almas, olhando para o alto com fé e contemplando o nosso derredor com solene ansiedade. Trabalhemos até que a noite venha e não o faremos em vão. Aquele que nos ordena a lançar a rede, Ele mesmo a encherá com peixes.