Todos nós temos recebido da sua plenitude. João 1.16 | Primeira Igreja Presbiteriana de Porto Velho

Todos nós temos recebido da sua plenitude. João 1.16

Estas palavras nos dizem que existe plenitude em Cristo. Existe uma plenitude de Deidade, pois nEle habita a plenitude da Divindade. Em Cristo, existe plenitude de humanidade perfeita, pois nEle a Divindade se manifestou corporalmente (ver Colossenses 2.9). Existe plenitude de eficácia expiatória no sangue de Cristo, pois "o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado" (1 João 1.7). Existe plenitude de retidão justificadora na vida de Cristo, porque "nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8.1). Há plenitude de preponderância divina em seu apelo, pois, Ele é poderoso para "salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles" (Hebreus 7.25). Existe plenitude de vitória na morte de Cristo, visto que, por meio da morte, Ele destruiu aquele que tem o poder sobre a morte, ou seja, o diabo (Hebreus 2.14). Existe plenitude de eficácia em sua ressurreição dentre os mortos, pois, por meio dela, Deus "nos regenerou para uma viva esperança" (1 Pedro 1.3). Existe plenitude de triunfo na ascensão de Cristo, porque "quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens" (Efésios 4.8; ver também Salmos 68.18). Há abundância de bênçãos de todos os tipos: plenitude de graça para perdoar, graça para regenerar, graça para santificar, graça para preservar, graça para aperfeiçoar. Plenitude em todas as épocas: de consolo na aflição e de orientação na prosperidade. Plenitude em cada atributo divino - de sabedoria, de poder, de amor. Existe plenitude impossível de ser perscrutada ou explorada. "Porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude" (Colossenses 1.19). Oh, quão abundante deve ser Aquele de quem todos recebem bênçãos! Certamente, existe plenitude onde a fonte está sempre jorrando, tão livre, rica e cheia em todo tempo. Peça amplamente e receberá amplamente, pois esta plenitude é inexaurível, está guardada onde os necessitados podem alcançá-la - em Jesus, Emanuel, "Deus conosco" (Mateus 1.23).