Levantou-se, pois, comeu e bebeu; e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites. 1Rs: 19:8 | Primeira Igreja Presbiteriana do Brasil em Porto Velho

Levantou-se, pois, comeu e bebeu; e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites. 1Rs: 19:8

Toda a força com a qual o gracioso Senhor nos supre tem como objetivo o servir, e não o viver em libertinagem. Quando o profeta Elias, estando debaixo do zimbro, encontrou o pão cozido em brasa e uma botija de água à sua cabeceira, ele não era um cavalheiro para ser satisfeito com comidas delicadas e deixado a espreguiçar-se à vontade; longe disto. Foi comissionado a caminhar, com a força daquela comida, quarenta dias e quarenta noites rumo a Horebe, o monte de Deus. O Senhor Jesus convidou os discípulos a virem e comerem com Ele (ver João 21.12); e, após terminada a refeição, o Senhor disse a Pedro: 11Apascenta os meus cordeiros" (João 21.15). Em seguida, Ele declarou: "Segue-me" (v. 19). Isto também é verdade a nosso respeito. Comemos o pão do céu, para que gastemos nossa força no serviço do Senhor. Celebramos a Páscoa e comemos o Cordeiro Pascal com lombos cingidos e cajado na mão, a fim de começar assim que tenhamos satisfeita nossa fome. Alguns crentes estão prontos a viver em Cristo, mas não se mostram anelantes em viver para Cristo. A terra deve ser uma preparação para o céu. E o céu é o lugar onde os santos se alimentam e trabalham profusamente. Eles se assentam à mesa de nosso Senhor e O servem dia e noite, no seu templo. Eles comem dos alimentos celestiais e prestam serviço perfeito. Crente, trabalhe para Cristo na força que Ele lhe supre todos os dias. Alguns de nós ainda têm de aprender muito quanto ao desígnio de nosso Senhor em nos dar sua graça. Não devemos reter a preciosa semente da verdade como as câmaras mortuárias egípcias retiveram trigo por anos, sem dar-lhe oportunidade de crescer. Temos de semeá-la e regá-la. Por que o Senhor manda a chuva sobre a terra seca e dá a fecundante luz do sol? A fim de ajudar os frutos da terra a produzirem alimento para o homem. De modo semelhante, o Senhor alimenta e revigora a nossa alma, para que, posteriormente, usemos nossas forças renovadas na promoção da glória dele.